Publicação da Parker Hannifin

Artigo
TÉCNICO

Instrumentação Mais cuidados fundamentais para sistemas seguros
Tubos e conexões: 10 passos para uma instalação econômica e segura- Parte 2

Na primeira parte deste artigo, vimos que a confiabilidade e a segurança de um sistema de instrumentação depende da correta seleção dos componentes que serão empregados na tubulação. No texto inicial, detalhamos os cinco primeiros cuidados de uma lista de 10 ações para a garantia da segurança do sistema. Confira agora os cinco tópicos que complementam os anteriores e ajudarão você a obter sucesso na montagem de sua instalação.

Passo 6 - Seleção do material

A escolha do material mais adequado para cada projeto é essencial para uma instalação perfeita. Essa escolha deve ser realizada com base no fluido e na temperatura do processo, bem como no custo e na resistência à corrosão dos materiais. Para facilitar essa seleção e dimensionamento, consulte os especialistas da Parker. A eventual presença de sulfeto de hidrogênio (H²S) no processo é crítica para a integridade dos componentes, pois esse gás acelera a fragilização por corrosão sob tensão (SCC – Stress Corrosion Cracking).

A simples combinação de componentes fabricados com materiais diferentes pode causar corrosão e diminuir a vida útil do sistema de instrumentação. Por isso, quando a combinação for a única opção disponível, lembre-se de fazer uma avaliação criteriosa das diferentes classes de temperatura e pressão desses materiais e do quanto essas diferenças poderão comprometer a integridade do sistema.

O material e a posição dos suportes do tubo devem ser observados com atenção durante o projeto da instalação para garantir que esses suportes sejam resistentes à corrosão, não causem abrasão no tubo e sejam instalados em uma posição que não interfira na drenagem da água.

Passo 7 – Emissões fugitivas

Quando a aplicação exigir o uso de válvulas categoria FE (Fugitive Emission), o responsável pela instalação deverá se assegurar de que a necessidade de certificação TAMAP 2 esteja claramente descrita desde o início do projeto.

Conforme vimos, a presença de H²S pode causar a fragilização dos componentes da instalação. Logo, uma boa maneira de garantir maior segurança para o sistema é utilizar válvulas monobloco isentas de conexões soldadas – como a linha de válvulas FE, da Parker.

Nas aplicações em que as emissões fugitivas são críticas, é fundamental que se busque eliminar potenciais vazamentos desde o projeto. Nesse cenário, novamente a tecnologia de conexão integral surge como uma opção inteligente, pois permite eliminar duas uniões NPT, que estão sujeitas tanto a fragilização por corrosão sob tensão quanto à fragilização da rosca.

Continue lendo

continue lendo
Novidade Parker
Como reduzir desperdícios em prensas e injetoras Drive Controlled Pump chega para multiplicar a eficiência energética e assegurar a sustentabilidade dos sistemas hidráulicos continue lendo... VEJA O HISTÓRICO DAS MATÉRIAS DE TOPO

Setores em Destaque

Recado distribuidor 4/12/2019 Missão: entregar produtos de alta confiabilidade Conheça a Industrial 4.0, distribuidor Parker da linha Motion System Group em SP
Você já viu? 31/10/2019 Conheça a ferramenta online para dimensionar O-Rings Aplicativo Parker permite selecionar corretamente material e dimensões de O-Rings
Você já viu? 19/9/2019 Ecossistemas IoT Mobil para equipamentos hidráulicos Fabricantes podem alcançar novo patamar qualitativo excepcional em seus projetos
Receba o ParkerNews por email Sugira uma matéria PARKER NEWS. ACESSE AQUI EM PDF
Expediente ©Parker Hannifin Corp. 2019